Semana de Acção Global de Educação para Todos – 2017
Imagem da Notícia

​Arrancou esta Segunda Feira (24), a Semana de Acção Global de Educação Para Todos-2017, o maior evento de educação a nível mundial. Em Moçambique, o lema para o ano de 2017 centraliza-se em Responsabilizar os governos e a comunidade internacional pela concretização da agenda Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS4) na sua totalidade, garantindo a participação activa dos cidadãos.

A nível da cidade de Maputo, o evento, organizado pelo Movimento de Educação para todos (MEPT), em parceria com o Ministério de Educação e Desenvolvimento Humano, teve lugar nas instalações do MINEDHº e contou com a participação dos representantes do MINEDH, representantes de parceiros de cooperação internacional e nacional, representantes da sociedade civil, estudantes e activistas.

Durante a cerimónia de abertura, a presidente do MEPT Amina Issa deu a conhecer que o sector da educação tem registado alguns avanços. "Congratulamo-nos pelos resultados gerais alcançados na evolução da participação das meninas em quase todos os níveis, com destaque para o Ensino Secundário, onde a percentagem de matriculadas é de 48, 6%". A presidente fez menção ainda sobre os desafios para o ano de 2017. 

A redução da taxa de conclusão na 7ª classe, que foi de 47% para 37% entre 2011 a 2015, a redução da taxa de retenção da 1ª até a 3ª classe, de 69% para 63% em 2016, baixo aproveitamento dos alunos da 3ª classe do ensino primário nas competências de leitura e cálculo, de 6,3% em 2013 para 4,9 em 2016, a redução do valor de apoio directo às escolas e a garantia do acesso ao livro gratuito do ensino básico para todos os alunos.

A ministra de Educação e Desenvolvimento Humano, Conceita Sortane enalteceu os esforços que estão sendo feitos na área de educação para o alcance dos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável e da agenda de Acção 2030. "Como resultado do trabalho coordenado e conjunto, a rede escolar cresceu em 3% entre 2015 e 2016, permitindo o acesso à educação de mais de 7 milhões de crianças e jovens no Ensino Geral com um crescimento global de 2,4%." Disse a ministra, acrescentado que apesar dos avanços, o sector de educação ainda enfrenta múltiplos e complexos desafios.

O vice ministro de Educação Armindo Ngunga,  no seu pronunciamento sobre a situação da revisão da lei do SNE, disse que se propõem a revisão da lei 6/02 de 6 de Maio, a mudança da estrutura do ensino primário, de 7 anos para um ensino primário de 6 anos, com um plano curricular contínuo; estabelecer um ensino básico de 9 anos de escolaridade; adequar a idade e maturidade dos candidatos aos cursos técnico profissional, ao perfil de saída dos graduados exigido pelo mercado laboral; harmonizar a lei de educação profissional e de ensino superior e promover a educação primária em todo o país. 

Em representação do Sindicato Nacional dos Professores, Francisco Nogueira fez recordar ao governo e aos demais presentes, que um dos compromissos da ODS4 assumido pelo governo em Paris em 2015, é de investir no professor a curto, médio e longo prazo, capacitá-lo, criar condições dignas de ambientes de trabalho seguro, saudável e recursos adequados de trabalho.

De realçar que em Moçambique, a Semana de Acção é um espaço de campanha em que a sociedade civil, representada pelo Movimento de Educação Para Todos (MEPT), advoga junto ao governo e dos parceiros de cooperação, a favor duma educação básica inclusiva e de qualidade para todos cidadãos. Esta iniciativa tem o apoio da Campanha Africana de Educação para Todos (ANCEFA), Campanha Global de Educação, Agência Norueguesa para o Desenvolvimento (NORAD), Big Lottery Fund, OXFAM IBIS, ROSC, Save the Children e Actionaid.

                                                     B1.jpg
​                                                                             Presidente do MEPT, Amina Issa, Ministra Conceita Sortane   e 

                                                                    o vice ministro Armindo Ngunga na SAGEPT