Lançamento da Acção TIC na Formação Inicial de Professores
Imagem da Notícia

A ‘Acção TIC na Formação Inicial’ visa a melhoria da formação inicial de professores através de Tecnologias de Informação e Comunicação, em quatro Institutos de Formação de Professores (IFP) das províncias de Inhambane e Sofala, e conta com o apoio da Cooperação Alemã através da GIZ-Programa de “Promoção de Educação Básica e Técnico-Profissional” e da iniciativa “África Digital” do Ministério Alemão de Cooperação Económica e Desenvolvimento. O evento de lançamento decorreu no dia 2 de Junho de 2017, no IFP de Vilankulo e contou na cerimónia de abertura com a honrosa presença do Vice-Ministro de Educação e Desenvolvimento Humano, Sua Excelência Armindo Ngunga que cumpria a sua visita à província de Inhambane, na companhia da Directora Nacional de Ensino Primário e da Directora Provincial de Educação e Desenvolvimento Humano de Inhambane.​

O evento, norteado pelos seguintes objectivos:

·         Comunicar o início oficial da Acção TIC

·         Analisar a situação actual das TIC nos IFP

·         Validar a proposta de trabalho na Acção TIC

·         Elaborar em conjunto elementos chave para a implementação da Acção TIC até Dezembro 2017

Contou com 65 participantes, dentre os quais o Director Nacional de Formação de Professores (DNFP), o Assessor TIC da Ministra de Educação e Desenvolvimento Humano, o Director do Institutode Educação Aberta e à Distância (IEDA), a Directora do Programa Pro-Educação da Cooperação Alemã-GIZ, Representantes da UNESCO, Directores Provinciais e Chefes de Departamentos de Educação e Desenvolvimento Humano de Inhambane e Sofala, Director do Serviço Distrital de Educação Juventude e Tecnologia de Vilankulo, Secretário Permanente e Presidente do Município de Vilankulo, e os representantes dos 4 IFP de Chicuque, Homoíne e Vilankulo (Província de Inhambane) e Manga (Província de Sofala): Directores e Adjuntos Pedagógicos e Administrativos, Chefes de Departamentos e formadores, técnicos de património e formandos. O evento foi facilitado pela equipa técnica da Cooperação Alemã-GIZ.

No painel inicial, que incluía os Directores Nacionais do DNFP e IEDA, o Assessor TIC e a Directora da GIZ Pro-Educação, foram discutidos aspectos ligados ao papel de cada instituição central no âmbito das TIC na Formação Inicial e a importância das TIC para a melhoria da educação em Moçambique.

Analisadas as possibilidades e desafios existentes na utilização das TIC no processo educativo, diversos posicionamentos dos participantes indicavam a potência que há nas TIC como motor de aceleração do processo educativo. De Acordo com o Director Nacional de Formação de Professores, Feliciano MAHALAMBE “as TIC são um imperativo para o desenvolvimento da nossa escola. O grande desafio está em como usar as TIC na educação e não em como proibir o seu uso”. Para o mesmo orador as TIC potenciam a aprendizagem e permitem que os formandos tenham acesso à formação que lhes permite sua maior integração no mundo tecnológico.

 

Corroborando com a perspectiva anteriormente apresentada, notamos que a evolução do conhecimento e da técnica e a proliferação da informação baseada em suportes electrónicos exigem um novo desempenho das instituições educacionais que deve consistir essencialmente no uso das TIC como meio didáctico. A par desta ideia, Kauxique MAGANLAL- Assessor da Ministra de Educação e Desenvolvimento Humano na área de TIC, assegurou que a base do sucesso das TIC como recurso didáctico no processo educativo é a “formação de formadores e de diversos intervenientes do processo educativo na componente TIC” – elemento este que constitui um dos principais pilares do Plano Tecnológico de Educação. O mesmo interveniente, sustentou que os utilizadores das TIC no processo educativo precisam “saber identificar, canalizar, processar e contextualizar a informação” pois, segundo ele, o outro grande desafio que se colocada frente às TIC no processo educativo está em “como fazer chegar o conteúdo (disponível ou elaborado) à pessoa que precisa”. Acredita ainda que as TIC são um meio para a redução dos custos financeiros no processo de ensino. Este pensamento nos remete à ideia de que é possível que os formandos aprendam e busquem conhecimento através das TIC, sem depender do formador e da aula tal como são os modelos tradicionais de aprendizagem. A experiência no ensino à distância e a disponibilidade de plataformas digitais em 7 províncias facilita esta inovação, de acordo com o Director de IEDA - Manuel SIMBINE.   

 

A Directora da GIZ Pro-Educação, Cornelia BATCHI, referiu que o governo alemão dá muita importância ao apoio aos países africanos no acesso ao mundo digital. Desta forma a população pode usufruir das oportunidades de desenvolvimento que os TICs ofererecem e assim, isto vai contribuir para alcançar as metas da Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável.

Em quatro sessões de trabalho em grupo, foram aprofundadas as discussões e a troca de experiencias em relação ao acesso móvel e sustentável às TIC, o desenvolvimento de capacidades dos formadores, as inovações pedagógicas com TIC e a estratégia de TIC no sector de educação em Moçambique, olhando entre outros para os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável acordados a nível nacional e internacional.

Em síntese, fica claro que, nas reflexões e intervenções de todos e todas participantes, considera-se que as TIC podem constituir um catalisador para o avanço significativo na educação, mudando as formas de conceber e implementar o processo de ensino e aprendizagem. Ademais, Feliciano MAHALAMBE (Director Nacional de Formação de Professores), acresceu que “na era do livro, muitos passavam de classes e níveis elevados de escolaridade, sem ter lido pelo menos um livro. Porém, na era digital, todo o utilizador das TIC está constantemente informando-se pois, o acesso à informação está em qualquer lado”. O ponto-chave é que as TIC quando aplicadas no contexto educativo, permitem maior integração do Formador e do Formando no mundo digital e tecnológico e o aproveitamento dos meios didácticos disponíveis em diversas plataformas electrónicas.

 

in5.jpg in1.jpg


port4.jpg inh6.jpg

port2.jpg   port3.jpg